Cultura de Segurança: o que é? Como diagnosticar?

Nos últimos anos, muito se tem discutido sobre Cultura de Segurança. Boa parte dos gestores das empresas atuais acreditam que se desenvolve cultura com a obediência irrestrita aos procedimentos de segurança, por parte dos operadores de campo, assim como com a resposta à indicadores e resultados gerenciais.

Diversos trabalhos nos mostram o limite dessas abordagens. Uma Cultura de Segurança somente pode ser desenvolvida com a articulação de conhecimentos do campo com os gerenciais. Para isso, é necessário reconhecer que as regras são extremamente limitadas, principalmente se não forem construídas com aqueles que realizam o trabalho cotidianamente.

É assim que Gonçalves Filho et al. (2011) e Rocha et al. (2016), publicações do nosso post de hoje, abordam o tema. Os primeiros, através de uma revisão da literatura, mostram como identificar o estágio de maturidade da cultura de segurança de uma organização. Já os segundos, por meio de uma pesquisa em plataformas de petróleo, conceituam e mostram como é possível diagnosticar uma cultura de segurança numa organização.

Gonçalves Filho et al. (2011)

Rocha_et_al._(2016)

Siga o BLOG Ergonomia da Atividade e curta nossa página no Facebook!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s